Pinterest • O catálogo mundial de ideias

Explora Olimpíadas Fatos, Curiosidades Esportes e outros!

A atitude da Globo de não transmitir a bela festa de abertura das Paraolimpíadas não é só uma traição à luta das pessoas portadoras de deficiência que, dentro e fora do esporte, superam a...

Privacidade, riqueza, festa e diversão: as casas dos países nos Jogos do Rio #globoesporte

O Atleta Olímpico Vanderlei Cordeiro, merecidamente, após ter sido retirado sua grande medalha, acende o Grande Símbolo - A chama da Pira Olímpica, e que no Rio 2016 foi espetacular, unindo a pira do fogo ao nosso Grandioso Sol Central.

Rio 2016: O Legado Olímpico

Legado da Barra (1.18 milhão de m2). A Pista de Atletismo terá padrão olímpico e uso compartilhado por atletas profissionais e jovens. Alguns móveis da vila dos atletas vão para o alojamento da pista, que será construída após os jogos

Socorro! O que foi o 'Vinícius Bündchen' na abertura da Paralimpíada?

Mascote da Rio 2016 rouba a cena na cerimônia da Paralimpíada com vestido de…

Rio 2016: O Legado Olímpico

Foto aérea mostra a região do Parque Olímpico antes do início das obras. Havia um autódromo e dois equipamentos esportivos, a HSBC Arena e o Parque Aquático Maria Lenk, que foram feitos para o Pan de 2007

Rio 2016: O Legado Olímpico

Depois de 112 anos, o golfe volta à Olimpíada e já tem lugar assegurado entre as principais polêmicas dos Jogos de 2016. Tudo por causa da decisão da prefeitura de permitir que uma área de preservação ambiental fosse usada para a construção do campo, que vai receber os melhores golfistas do mundo.

Juntando R$ 250 ao mês, casal pode ir a Tóquio para ver a Olimpíada de 2020

TÓQUIO É LOGO ALI Veja quanto você precisa por mês para ver a Olimpíada de 2020

15 provas de que assistir vôlei é muito melhor que futebol

A grande maioria dos pontos é marcado depois de uma bela dose de emoção, com…

“A prefeitura pagou pelo preço da especulação imobiliária. A localidade da Vila Autódromo será o coração das Olimpíadas e todo o bairro está em constante crescimento”, afirmou Leonardo. O presidente da associação de moradores, Altair Guimarães, criticou a posição do município sobre as desapropriações. Para ele, se as casas milionárias fossem vendidas, não passariam de R$ 150 mil. “Nenhuma casa aqui vale R$ 2 milhões. Alguém compraria um imóvel na favela por esse preço?