Pinterest • O catálogo mundial de ideias

Explora Praias, Ideias e outros!

Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é... (da música Dom de Iludir) Caetano Veloso E quando agente para de se iludir, já olhamos para o lado com outros olhos e enxergamos que há muito mais coisas interessantes que nossas ilusões. Patrícia Garbuio

Porque ainda insistimos com essa tal de FELICIDADE? Se para conseguir chegar até ela dói muito, nos machucamos, derrubamos lágrimas de alguns, magoamos outros. Tem ainda aqueles que vão empenhar-se para que acreditemos que não merecemos essa tal de FELICIDADE. E quando finalmente ela chega, vem vagarosa. Mas com tempo determinado para ficar. E o processo recomeça. Patrícia Garbuio

BOCA RARA: Também sei falar de AMOR

Liberdade de voar num horizonte qualquer, liberdade de pousar onde o coração quiser. Cecília Meireles

A MULHER do mundo moderno quer plasmar o HOMEM à sua semelhança. Sutilmente tenta moldar o companheiro. Grande parte são obedientes e entregam-se aos poucos às nossas exigências. Mas porque aceitam e até quando? Não vem de dentro para fora. Logo retornam a sua essência. Portanto, MULHERES MODERNAS que irritam-se com o futebol de quinta-feira, o churrasco e pescaria com os amigos no fim de semana e até com a cervejinha no boteco. Suspeitem dos seus conceitos. Podem estar menosprezando o…

Vontade de mergulhar nessas águas! E não somente para refrescar-me desse calor. Mas também limpar-me de toda e qualquer energia negativa. Lavando a alma! Patricia Garbuio

.Uma mulher bonita não é aquela de quem se elogiam as pernas ou os braços, mas aquela cuja inteira aparência é de tal beleza que não deixa possibilidades para admirar as partes isoladas. Sêneca

A natureza torna-se perfeita quando vista diante de olhos que respeitam e sabem admirar. Observadas por outros olhos, ameaçadores, se converte repugnante e vai se extinguindo com o percorrer dos séculos. Patrícia Garbuio

Ame a LIBERDADE tanto quanto a SOLIDÃO. Separando-as, dará lugar também ao DESEQUILÍBRIO. Elas andam juntas. É o preço de ser AUTÊNTICO. E assumir o que se é. Experiência sua e ÚNICA. Patricia Garbuio

Saudades... Saudades de quando ainda podíamos brincar na rua. Correr na chuva, levar o bambolê no recreio e yo-yo no bolso. Quantos tombos de patins! E a peteca, o pião, a amarelinha e os escravos de jó? Hoje, somos escravos de uma única brincadeira: O computador. Patrícia Garbuio