Pinterest • O catálogo mundial de ideias

Explora Documentário Em, De Iara e outros!

de UOL Cinema

"Em Busca de Iara" resgata figura da militante Iara Iavelberg

O documentário, de Flavio Frederico, relata a trajetória de Iara Iavelberg. Apesar de ter uma situação financeira confortável, ela decidiu abandonar a família e investir na luta armada durante a ditadura militar. Iara teve uma relação amorosa com o capitão Carlos Lamarca, e morreu em 1971, aos 27 anos de idade. - Em Busca de Iara (2014)

Clarice na passeata contra a ditadura militar, no Rio de Janeiro, em 22 de junho de 1968

de HypeScience

Conheça o portal com fotografias que contam a história do Brasil

Brasil - Retrato de D. Pedro II. Por Marc Ferrez, cerca de 1885. Rio de Janeiro, RJ

Tarsila do Amaral foi uma pintora e desenhista brasileira e uma das figuras centrais da pintura brasileira e da primeira fase do movimento modernista brasileiro, ao lado de Anita Malfatti. Wikipédia Nascimento: 1 de setembro de 1886, Capivari, São Paulo Falecimento: 17 de janeiro de 1973, São Paulo, São Paulo Educação: Academia Julian Cônjuge: Oswald de Andrade (de 1926 a 1930) Tarsila-do-Amaral1.jpg (450×500)

Nascimento: 10 de dezembro de 1920, Chechelnyk, Ucrânia. Falecimento: 9 de dezembro de 1977, Rio de Janeiro, RJ ―Clarice Lispector

Pagu. Teve grande destaque no movimento modernista iniciado em 1922, embora não tivesse participado da Semana de Arte Moderna, tendo na época apenas doze anos de idade. Militante comunista, foi a primeira mulher presa no Brasil por motivações políticas.

astroFotografia - Imagens à luz das estrelas - Time Lapse movie © Miguel Claro

de Catraca Livre

Casa da Morte vai se tornar Memorial da Verdade e Justiça

O prefeito de Petrópolis anunciou, no início de setembro, que a desapropriação do imóvel conhecido como Casa da Morte, em Petrópolis, Rio de Janeiro, depende exclusivamente de verba federal. A intenção é criar um Memoria da Verdade e Justiça para resgatar a memória dos torturados e mortos do local, durante a ditadura militar.

Ísis Dias de Oliveira nasceu em 29 de agosto de 1941. Era estudante de Ciências Políticas na Universidade de São Paulo, mas não chegou a concluir o curso. Ela vivia clandestinamente em 1972, no Rio de Janeiro, quando foi presa pelo DOI/Codi. Após a prisão, nunca mais foi vista por familiares e amigos. No Serviço Nacional de Informação (SNI), consta que Isis teria sido morta em 31/01/1972, o mesmo dia em que foi presa.