Pinterest • O catálogo mundial de ideias

Explora São Unidades, Massa Amorfa e outros!

para estar junto é preciso estar só

"Para estar junto é preciso primeiro respeitar o contorno do próximo. Não se fundir a ele e virar uma massa amorfa, com consciência coletiva. Casais são duas unidades juntas, mas são unidades."

albert kahn, de detroit para o mundo

De origem Alemã, foi na América que Albert Kahn fez carreira e marcou a sua posição enquanto arquitecto. Considerado por muitos o pai da fábrica americana, juntou às linhas de montagem o modernismo europeu do início do século XX, criando algumas das maiores e mais icónicas unidades fabris dos EUA e do Mundo. http://obviousmag.org/archives/2010/04/albert_kahn_de_detroit_para_o_mundo.html

televisão e subjetividade

"Frente às faculdades mentais humanas, os meios de comunicação agem como espécies de “id personalizados” quando realizam gozos do indivíduo ou satisfazem determinadas pulsões. Segundo Edgar Morin, os fait-divers (notícias bizarras) propiciam que sentimentos reprimidos possam ser “midiaticamente sublimados”."

para estar junto é preciso estar só

Antes de estar com alguém, estamos junto com nós mesmos. E, eventualmente, temos medo do silêncio, acumulamos informação nas paredes, usamos ajuda para relaxar a mente, ficamos desconfortáveis na multidão.

um relógio que levou 9 anos para ser montado, e que vai mudar sua definição de arte

"A Patek Philppe lançou uma peça especial para comemorar seu aniversário de 175 anos. O Grandmaster Chime, que tem 1366 componentes diferentes, seis invenções patenteadas incorporadas ao mecanismo interno, cinco tipos de som e custa 2,5 milhões de dólares - caso você consiga uma das únicas 6 unidades postas à venda. O corpo do relógio gira em torno do próprio eixo e é todo coberto por ouro 18 quilates."

Salvador Allende - Castellano

""O exorcista" apresenta uma boa história, que foi adaptada de um livro consistente e dramático. Por sua vez, o livro baseou-se em fatos reais. Inclusive, o autor do romance o escreveu a pedido de padres jesuítas para alertar as pessoas. Embora o filme tenha se centrado nos aspectos assustadores do livro, deixando em segundo plano o lado mais dramático e profundo da obra literária, podemos perceber nitidamente alguns conflitos bem interessantes na versão cinematográfica..."

"Buscar a unidade – a personalidade única – é mais confortável: por ser convencional e ordeiro. Mas aceitar a multiplicidade do espírito caótico, por mais doloroso que seja, cria um vórtice de possibilidades criativas. Que o diga Pessoa. Ou Caeiro. Ou Campos. Ou Reis. Ou Soares."