Pinterest • O catálogo mundial de ideias

Explora Não Precisamos, Fazer Algo e outros!

O passado, é uma lição pra se refletir e não para se repetir e a arte não é um espelho para refletir o mundo, mas um martelo para forjá-lo.Nossas escolhas não podem ser apenas intuitivas, elas têm que refletir o que a gente é. Lógico que se deve reavaliar decisões e trocar de caminho: Ninguém é o mesmo para sempre. A arte, essa sim, é para sempre.

Para quem nasceu e cresceu vendo o amor ser espalhado pelas pradarias floridas, através de velozes beija flor, de esvoaçantes borboletas, com o doce sopro das brisas matinais balouçando as lindas flores silvestres, não é difícil assimilar esse universo em seus trabalhos artesanais, buscando transmitir o singelo e sensível modus-vivendi de maneira prática, elaborada e casual, em sua sublime expressão de arte contemporânea, dentro de temáticas que sugerem beleza e simplicidade.

Koisinhas karinhosas: Koisinhas Karinhosas

Nossas mentes as vezes confusas, nos enredam em tramas transformando-os muitas vezes em dramas de difícil resolução. Uma das formas que mais funcionam, é a nossa identificação com a beleza inserida na simplicidade das coisas. Lições, que nos mostram que não há necessidade de complicarmos a vida, de modo que, não precisamos correr atrás das borboletas. Se cuidarmos do nosso jardim, elas virão até nós.

Quando se olha a vida de um prisma cujas cores enaltecem a alegria, o desapego e o compromisso com a natureza, os problemas diminuem de tamanho, adquirindo uma dimensão que nos proporciona formas mais suaves de lidar com eles. Por esse lado, a visão que se tenta transmitir na arte, geralmente sugere uma certa leveza da alma, com uma mensagem de meiguice e de carinho para com os destinatários da mensagem.

Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram. Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos.

A vida ensina que não se pode ser tão bom a ponto de não melhorar, nem tão ruim a ponto de não piorar. O discernimento entre um e outo extremo, está em cada um de nós, levando-se em conta que sempre se encontra um ponto de equilíbrio, respeitando-se razão e emoção em quantidades mais ou menos iguais, para que se possa encontrar o ponto certo. Devemos levar em conta que a quantidade de amigos, observaremos nos nossos melhores momentos e nos piores, a qualidade deles.

Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem. Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela... Um dia nós percebemos que as mulheres têm instinto "caçador" e fazem qualquer homem sofrer ... Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável... Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples... Um dia percebemos que o comum não nos atrai... Um dia saberemos que ser classificado como "bonzinho" não é bom...

O Mestre na arte da vida faz pouca distinção entre o seu trabalho e o seu lazer, entre a sua mente e o seu corpo, entre a sua educação e a sua recreação, entre o seu amor e a sua religião. Ele dificilmente sabe distinguir um corpo do outro. Ele simplesmente persegue sua visão de excelência em tudo que faz, deixando para os outros a decisão de saber se está trabalhando ou se divertindo. Ele acha que está sempre fazendo as duas coisas simultaneamente.

Avaliando bem, a vida é uma caixa de surpresa e a morte não é nada para nós, pois, quando existimos, não existe a morte, e quando existe a morte, não existimos mais. Quanto a surpresa da vida, é míster lembrar que As pessoas felizes lembram o passado com gratidão, alegram-se com o presente e encaram o futuro sem medo. Para um futuro destemido, observemos que a amizade e a lealdade residem numa identidade de almas raramente encontrada, numa visão de que só há um caminho para a felicidade.