Pinterest • O catálogo mundial de ideias

Explora Precariedade, Assessoria Para e outros!

Maria José Jaime, conhecida como Bizeh, fundou o Inesc em 1979, com o apoio de alguns amigos e amigas. A ideia surgiu logo depois que ela voltou do exílio e decidiu que iria continuar atuando na área político-social, no entanto fora de partidos políticos. Bizeh, depois de ver a precariedade que existia em termos de assessoria para deputados e senadores do campo popular dentro do Congresso Nacional, teve a iniciativa de criar uma entidade que prestasse esse tipo de assessoramento.

de BuzzFeed

Uma extensão do Chrome muda o nome de Michel Temer para "Temer Golpista"

Logo após assumir o cargo de presidente do Brasil, Michel Temer declarou em sua…

24.03.2016 | Na manhã de ontem, a PF iniciou uma operação para desmontar um grupo que atua em Boa Vista e Alto Alegre na extração ilegal de madeira nobre da Floresta Nacional de Roraima e na TI Yanomami. Foi cumprido um mandando de prisão contra o cabeça do grupo, de 45 anos, cujo nome não foi revelado, e dois de busca e apreensão. Os mandados foram deferidos pela Justiça Federal em Roraima depois de pedido feito pelo delegado que preside o inquérito que investiga crimes ambientais.

de EL PAÍS

General na Funai e a epidemia-genocida-xawara

Os órgãos de inteligência do Governo Militar perseguiam o movimento indígena então nascente, e também grampeavam e monitoravam seus aliados. Após o AI-5, foi criada na Funai uma Assessoria de Segurança da Informação, ligada diretamente à Divisão de Segurança da Informação do Ministério do Interior. O acervo do ASI-Funai é farto em transcrições de grampos de servidores da Funai, de lideranças indígenas, de organizações indigenistas, até de bispos da CNBB.

RMA84 - O Licenciamento Ambiental Federal das atividades marítimas de Exploração e Produção de Petróleo e Gás é conduzido pela Coordenação-Geral de Petróleo e Gás (CGPEG) do Ibama. Trata-se de um escritório sediado no Rio de Janeiro, com cerca de 80 analistas ambientais concursados, com experiência acumulada em mais de 13 anos na condução, análise e acompanhamento dos processos de Licenciamento de atividades realizadas no ambiente marinho em qualquer ponto do Brasil.

Umas das lideranças de maior expressão do Amazonas, Cosme Capistano da Silva, agente da Comissão Pastoral da Terra (CPT) do município de Boca do Acre, está sob ameaça de morte. O clima de tensão aumentou nos últimos dias quando dois homens circulando em uma moto estiveram rondando sua casa localizada na periferia do município. Os vizinhos estranharam a movimentação e avisaram a família de Cosme, que se encontrava em Manaus participando de reuniões sobre a regularização fundiária em Boca do…

de Poder

PF prende temporariamente presidente do PSDB de Goiás

| 24.08.2016 | ... , que investiga o suposto desvio de R$ 4,5 milhões de dinheiro público por meio de contratos fraudulentos da Saneago, empresa de Saneamento de Goiás. A investigação começou com o levantamento de crimes licitatórios para o fornecimento de estação elevatória de água do sistema de abastecimento de Luziânia, o Corumbá IV. Posteriormente, também foram identificados indícios de fraudes nos contratos para a ampliação do sistema de esgotamento de Goiânia, o Meia Ponte.

de Exame

Relator do impeachment, Jovair Arantes é condenado pelo TRE

Ele pagará multa pelo uso dos serviços de funcionário público em seu comitê de campanha eleitoral de 2014 durante o horário normal de expediente

de Último Segundo

Lava Jato: PF deflagra operação que aponta para corrupção em obras de ferrovias - Política - iG

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta sexta-feira (26), a operação "O Recebedor", desdobramento da Lava Jato que investiga esquema de corrupção na Petrobras, com base em informações colhidas em um depoimento de delação premiada e acordos de leniência que apontaram pagamento de propina para a construção de ferrovias Norte-Sul e Integração Leste-Oeste. As investigações revelaram prática de cartel e lavagem de dinheiro por meio de superfaturamento de obras públicas.

Segundo o Min. Celso de Mello, em diversas decisões que proferiu na Corte, “o exercício da jurisdição cautelar por magistrados e tribunais não pode converter-se em prática judicial inibitória, muito menos censória, da liberdade constitucional de expressão e de comunicação, sob pena de o poder geral de cautela atribuído ao Judiciário qualificar-se, perigosamente, como o novo nome de uma inaceitável censura estatal em nosso País”.