Explora Artur Mendes, Ricardo Moraes e outros!

Explorar tópicos relacionados

Em todo o mundo, uma "super lua cheia", maior e mais brilhante, está sendo apreciada neste final de semana.

Em todo o mundo, uma "super lua cheia", maior e mais brilhante, está sendo apreciada neste final de semana.

A seguros 27 mil anos-luz de distância da Terra, no centro da nossa galáxia, há um buraco negro com uma massa 4 milhões de vezes maior do que a do sol. Conhecido como Sagittarius A*, esse gigante é, felizmente, menos voraz do que buracos negros do centro de outras galáxias. Apesar disso, de vez em quando ele entra em atividade intensa.

A seguros 27 mil anos-luz de distância da Terra, no centro da nossa galáxia, há um buraco negro com uma massa 4 milhões de vezes maior do que a do sol. Conhecido como Sagittarius A*, esse gigante é, felizmente, menos voraz do que buracos negros do centro de outras galáxias. Apesar disso, de vez em quando ele entra em atividade intensa.

No último dia 21 de maio, perto de Texas, nos EUA, uma tempestade varreu a cidade de Adrian causando uma nuvem parecida com um tornado, conhecida como “supercélula”.

No último dia 21 de maio, perto de Texas, nos EUA, uma tempestade varreu a cidade de Adrian causando uma nuvem parecida com um tornado, conhecida como “supercélula”.

A nebulosa planetária da Aranha Vermelha mostra a estrutura complexa que pode se formar quando uma estrela normal ejeta a sua camada externa de gás e se torna uma anã branca. Com o nome oficial de NGC 6537, esta nebulosa planetária com dois lobos simétricos abriga uma das estrelas anãs mais quentes já observadas, provavelmente parte de um sistema binário.

A nebulosa planetária da Aranha Vermelha mostra a estrutura complexa que pode se formar quando uma estrela normal ejeta a sua camada externa de gás e se torna uma anã branca. Com o nome oficial de NGC 6537, esta nebulosa planetária com dois lobos simétricos abriga uma das estrelas anãs mais quentes já observadas, provavelmente parte de um sistema binário.

Nunca chegamos tão longe… literalmente! Enquanto você lê esta matéria, a nave Voyager 1, construída pela NASA e lançada a 35 anos, está a impressionantes 17.970.000.000 (quase 18 bilhões de) quilômetros da Terra – até mais, na verdade, pois viaja a 10 quilômetros por segundo.

Nunca chegamos tão longe… literalmente! Enquanto você lê esta matéria, a nave Voyager 1, construída pela NASA e lançada a 35 anos, está a impressionantes 17.970.000.000 (quase 18 bilhões de) quilômetros da Terra – até mais, na verdade, pois viaja a 10 quilômetros por segundo.

Você já viu uma tempestade de raios ao vivo? Então confira essa foto. Provavelmente você vai decidir que está muito bem sem passar por essa experiência.-Atenas.

Você já viu uma tempestade de raios ao vivo? Então confira essa foto. Provavelmente você vai decidir que está muito bem sem passar por essa experiência.-Atenas.

Um novo pulsar, ou estrela pulsante, que está a 3.000 anos-luz de distância e recebeu o nome oficial de PSR B0943+10, fez a alegria dos astrofísicos por um motivo simples: as teorias atuais não explicam seu comportamento.  À primeira vista, parece um pulsar comum. Com 5 milhões de anos, ele dá uma volta sobre seu eixo a cada 1,1 segundos, o que é considerado uma velocidade baixa para uma estrela do seu tipo.

Um novo pulsar, ou estrela pulsante, que está a 3.000 anos-luz de distância e recebeu o nome oficial de PSR B0943+10, fez a alegria dos astrofísicos por um motivo simples: as teorias atuais não explicam seu comportamento. À primeira vista, parece um pulsar comum. Com 5 milhões de anos, ele dá uma volta sobre seu eixo a cada 1,1 segundos, o que é considerado uma velocidade baixa para uma estrela do seu tipo.

Essa foto é na verdade um mosaico de imagens construído através de pesquisas da NASA, que mostra uma seção enorme da Via Láctea. Nela, os pontos azuis são estrelas, e as áreas verde e vermelha representa a luz emitida principalmente pela poeira interestelar

Essa foto é na verdade um mosaico de imagens construído através de pesquisas da NASA, que mostra uma seção enorme da Via Láctea. Nela, os pontos azuis são estrelas, e as áreas verde e vermelha representa a luz emitida principalmente pela poeira interestelar

Uma equipe de cientistas franceses criou um detector de explosivos que melhora notavelmente a sensibilidade dos já existentes baseado no modo de funcionamento das antenas de uma espécie de borboleta noturna, informou nesta terça-feira (29) o Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS) da França.

Uma equipe de cientistas franceses criou um detector de explosivos que melhora notavelmente a sensibilidade dos já existentes baseado no modo de funcionamento das antenas de uma espécie de borboleta noturna, informou nesta terça-feira (29) o Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS) da França.

Pinterest • O catálogo mundial de ideias
Search