Pinterest • O catálogo mundial de ideias

Explora Em 80, Quadros Sala e outros!

“Não viajava, descrevia uma circunferência” - http://pulaumalinhaparagrafo.wordpress.com/2012/05/28/a-volta-ao-mundo-em-80-dias/

Uma notícia recente encheu meu coração de expectativas e temores: em breve teremos uma adaptação cinematográfica de uma das obras mais grandiosas que já li – O tempo e o vento - http://pulaumalinhaparagrafo.wordpress.com/2012/06/23/o-tempo-e-o-vento/

de pulaumalinha paragrafo

Grande Sertão: Veredas

Mas sabe aqueles momentos em que, para descansar da leitura, você começa a ler a sinopse, a introdução, a orelha do livro? Pois então, numa dessas, abri a orelha do livro e o que encontrei senão uma dedicatória da minha mãe? - http://pulaumalinhaparagrafo.wordpress.com/2012/07/06/grande-sertao-veredas/#

de pulaumalinha paragrafo

Toda Mafalda

Tenho uma teoria sobre literatura que pode ser resumida da seguinte forma: não existe pessoas que não gostam de livros, o que existe são pessoas que ainda não leram O Livro certo. Toda Mafalda pode ser o seu Livro - http://pulaumalinhaparagrafo.wordpress.com/2012/06/26/toda-mafalda/#

http://pulaumalinhaparagrafo.wordpress.com/2012/05/17/capitaes-da-areia/ -

de pulaumalinha paragrafo

Mansfield Park

“I purposely abstain from dates on this occasion, that every one may be at liberty to fix their own, aware that the cure of unconquerable passions, and the transfer of unchanging attachments, must vary much as to time in different people.” - http://pulaumalinhaparagrafo.wordpress.com/2012/06/09/mansfield-park/#

ocê sabia que a música Revolution foi tachada de “um grito de medo lamentável de um burguês mesquinho”? Que Michelle começou como uma imitação cômica de Paul para o estilo de música francesa cultuada na época? E que I’m looking through you, representa uma grande dor de cotovelo de Paul?- http://pulaumalinhaparagrafo.wordpress.com/2012/04/19/nesse-dia-das-maes-nao-de-presente-de-livros/

de pulaumalinha paragrafo

Precisamos falar sobre o Kevin

Apesar do tema banalizado, há uma diferença entre Lionel Shriver e outros que tentam contar a história de adolescentes que, armados, invadem escolas, cinemas, estádios e matam dezenas. Em Precisamos falar sobre o Kevin, a personagem Eva, mãe do menino que viria a se tornar um assassino, resolve, após o fatídico evento, relembrar todos os momentos que, de uma forma ou de outra, culminaram na quinta-feira - http://pulaumalinhaparagrafo.wordpress.com/2012/07/23/precisamos-falar-sobre-o-kevin/#

Ayla - a filha das cavernas Você consegue imaginar como era a terra, há muitos, muitos anos? Numa época em que grande parte do planeta era coberta de gelo e em que Homo sapiens – que deram origem a nós – coexistiram com neandertais? http://pulaumalinhaparagrafo.wordpress.com/2012/04/05/os-filhos-da-terra-parte-1-de-5/

de pulaumalinha paragrafo

Mundo por terra

Mundo por terra - Bem diferente de tudo que já li. Já disse num post anterior que, para um livro ser bom, basta seguir uma regra básica: ter uma boa história e ser bem escrito – lembrando que bem escrito não diz respeito apenas a regras gramaticais. Não é o caso deste livro de viagem. Definitivamente, não é lá muito bem escrito. Vários pequenos erros e vícios de linguagem permeiam a história e em alguns momentos http://pulaumalinhaparagrafo.wordpress.com/2012/03/24/mundo-por-terra/