Pinterest • O catálogo mundial de ideias

Explora Tempo Gosto, Sevilha Rodrigues e outros!

Meu corpo inteiro dói. As horas não passam. Mastigo dentes, com gosto de raízes do tempo. Gosto de terra crua. Chão batido. Um vento uivante e um lobo me espreitam, na esquina da rua. A casa rescende ao cheiro de jasmim. As pétalas reascendem seu aroma fantasmagórico, mesmo mortas. Não quero ir, não quero ficar. O dia não passa. Arrasto correntes.Estico rugas. Prendo um sorriso trôpego... Meu corpo inteiro dói. Puxo o relógio pelos cabelos. Texto: Marisa Sevilha Rodrigues

Adoro a estranheza! O não saber estar bem ou mal. Estável estado de apatia, que me faz parar no tempo, num pensar vazio. Um estado de escudo protetor, deixando não atingir-me por influencias aleatórias alheias. Uma forma de calma que me transfere para um nada. Sublime paz... Texto: Jota Rezende Imagem: Christophe Gilbert

Não me procure pelas partes. Me encontre no todo. Talvez consiga, mas nem tente me remontar. Não há peças de meu encaixe... Sou o desgaste. Não do tempo somente, mas por ter vivido entre. Não me olhe como se eu não soubesse. Eu te diria isso há 20 anos atrás (ou mais), tanto faz. (Isso, se não me resgatasse...) Mas não posso fazer nada, não há abas para me dispôr, inteira de mim, diante de ti. Por isso criei asas. Texto: Su Noguchi Imagem: by Nanoo G

Andando por aí vejo essas pessoas Pessoas estranhas, olhares baixos Sorrisos tortos, impaciência... Meio tonta insegura e sem graça Olho prá baixo... De repente não vejo nada além dos meus próprios pés... Não sinto nada... A indiferença é tanta. Falta de sentimento, falta de gostar, de querer. Falta... É sol, é chuva... Dia nublado Todos passam sem ser vistos.. Texto: Ana Luíza Araújo (18 anos) Imagem: By STMTS in Athens, Greece. FOTO: Helen RaubenÂ

Sobre o teu corpo despejo o cálice do meu amor tinto de vinho e sangue. Aspiro os beijos dos teus poros, um a um, recolho-os com a boca túrgida. Encho com eles minha ânfora, para que no outono dos meus dias, eu possa me banhar com o frescor dos teus lábios. Texto: Marisa Sevilha Rodrigues Pintura: Alison Van Pelt

Além do Horizonte Existem certas canções Que me falam de você Pequenas insinuações Do que eu quero viver. Não falo de canções carregadas de lástimas E de histórias mal resolvidas Também não falo de refrões encharcados de lágrimas E de paixões incompreendidas. Prefiro cantar o verbo amar Nas suas conjugações infinitas E além do horizonte encontrar esse lugar Recheados de promessas tão bonitas. Texto: Laureana Moreira Mota Imagem: Tom Benkendoff

... Ondina A mulher que me deu a luz Hoje é a estrela Que ilumina meu caminho... Texto: Renato Lima Imagem: Will Pogany Edição de imagem: Libertári

Andando de mundo em mundo, saltando de planeta em planeta, atrás de uma galáxia que me pertença. Texto: Jota Rezende https://www.facebook.com/pages/Num-Lat%C3%ADbulo-Sozinho/320444891321607?fref=ts Imagem: Toni Demuro

des-aprisionada receio estar amando menos a cada segundo temo não necessitar mais do som mavioso da voz que é tua... estremeço as bases sólidas de minha carcaça quando penso em des-apego. choro ao sentir que teu cheiro não mora em meu corpo, e sim o meu voltou a exalar pelos póros... tua voz, para quê? tu, um apego, o quê? teu cheiro em mim, não tem porquê! Texto: Bruna Matos www.flordosborgias.blogspot.com. Imagem: Mc Virn Etienne

Texto : BM - Bruna Matos M O R T A L São cicatrizes Um dia foram cortes Dantes a escara Sucumbiu-me até o Punho – atou-me... Fora aí que começou O jogo – tu queres brincar? Sei que não ganharei Nada, senão o troféu da Dor – neste ato não sou Vencedora... Mas me outorgaram a Partida... tenho cartas Estou na mesa... Tenho sangue... estou no mundo Infeliz... http://www.flordosborgias.blogspot.com.br/ Imagem: Christopher Cuseo