Pinterest • O catálogo mundial de ideias

Explora Estrelas, 1500 Anos e outros!

Provavelmente uma das mais belas imagens espaciais, NGC 604 é uma nebulosa de grandes dimensões, repleta de estrelas em formação. Medindo aproximadamente 1500 anos-luz de comprimento, NGC 604 é uma verdadeira maternidade de estrelas, cem vezes maior que a nebulosa de Órion M42.

Nebulosa do Véu (NGC 6960) Também conhecida como Nebulosa Vassoura de Bruxa, é consequência da explosão de uma estrela, é o resto de uma supernova. Situa-se à cerca de 1400 anos-luz da Terra. É uma nebulosa filamentar e altamente irregular.

Pleiades star cluster - captured by Chuck Manges using an Orion ED102CF telescope

de HypeScience

8 estonteantes GIFs espaciais

A Nebulosa do Pelicano fica a 2.000 anos-luz de distância de nós, na constelação do Cisne. Ela é rica em formação de estrelas.

Nebula M78 A nebulosa Messier 78 (também conhecida como M 78 ou NGC 2068) é uma nebulosa de reflexão na constelação de Orion. Ela foi descoberta por Pierre Méchain em 1780 e incluída por Charles Messier em seu catálogo de objetos de cometas nesse mesmo ano.

de Ciência

Imagens e notícias sobre o espaço (2013)

Imagem do telescópio NuSTAR, da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana), mostra uma remanescente da supernova Cassiopeia A, localizada a 11 mil anos-luz de distância. A luz da explosão estelar que criou a Cassiopeia A deve ter atingido a Terra há cerca de 300 anos, depois de viajar 11 mil anos para chegar aqui. Enquanto a estrela está morta há muito tempo, seus restos ainda estão cheios de ação: o anel exterior é azul, onde a onda da explosão da supernova está batendo no material ao seu…

de BuzzFeed

26 imagens que lhe farão reavaliar sua existência inteira

Mas vamos pensar grande. SOMENTE nesta fotografia tirada pelo telescópio Hubble, há milhares e milhares de galáxias, cada uma contendo milhões de estrelas e cada uma com seus próprios planetas.

de Ciência

Imagens e notícias sobre o espaço (2013)

Imagem do telescópio Vista, do Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês), mostra o aglomerado de estrelas globular 47 Tucanae (NGC 104), a 15 mil anos-luz da Terra. O aglomerado contém milhões de estrelas, algumas bem incomuns e exóticas. O telescópio está captando imagens da região das duas galáxias Nuvens de Magalhães